Bico-d’-obra (1)

I   Bico-de-Arabesco

espio uma ruela p’lo canto do @

lá fora um vaso espreita a flor

não me voa o ciúme na pena da cola

quem me quer amar daqui para fora?

[1] in Bicos-d’-Obra.

Micro-bio-grafia de Sofia Semper: ave rara, debicadeira aqui e acoli, escrevinhadeira e eterna procuradoira de sonhos. Nos tempos livres, não coleciona penas: escreve sempre a fisgá-las e desenha escapatórias.