Cecília Prada

cecilia_pradaCECILIA PRADA  (Cecilia Maria do Amaral Prada) 

Nascida em Bragança Paulista, foi levada logo após o nascimento para a cidade de São Paulo, onde fez todos seus estudos, iniciando sua carreira profissional como jornalista e escritora em 1950, no jornal A Gazeta. É Bacharel em Jornalismo e Licenciada em Letras Neo-Latinas . Foi também professora de Português concursada da rede pública estadual, de 1952 a 1955. Nesse ano, transferiu-se para o Rio de Janeiro, prestou concurso para a carreira diplomática e exerceu a profissão até 1958 –então, por motivo de casamento com colega de carreira, foi obrigada pelo Itamaraty a demitir-se. Após o desquite, em 1973, retomou sua profissão de jornalista. Reside atualmente em Campinas (SP).

COMO JORNALISTA, foi redatora e repórter, em São Paulo e no Rio: em São Paulo, além de A Gazeta, jornal O Estado de São Paulo, revistas Visão e Istoé– nesta última foi crítica teatral, membro da APCA; no Rio: jornais O Globo e Jornal do Brasil. Foi colaboradora assídua do jornal Folha de São Paulo, de 1977 a 1980 – ano em que ganhou o PRÊMIO ESSO DE REPORTAGEM por uma série de matérias sobre menores institucionalizados (“Clínica de Repouso Congonhas”). Foi a primeira mulher jornalista a receber esse prêmio individualmente e em âmbito nacional, desde que fora instituído, em 1955. 

Nos últimos 15 anos presta serviços regulares de jornalismo por meio de sua empresa ATALANTA EDITORIAL a vários órgãos de imprensa, principalmente à revista Problemas Brasileiros (SESC-FECOMÉRCIO-SP). 

FICCIONISTA E DRAMATURGA, tem vários prêmios literários, sendo seus contos publicados em várias antologias do Brasil e do exterior. Em 1994, quando o Brasil foi país-tema da Feira Internacional do Livro de Frankfurt , seu conto “LA PIETÀ” , traduzido por Kurt Meyer Klason e que já figurara em antologia alemã dedicada a escritoras da América Latina, foi escolhido para inaugurar o evento, sendo então lido e retransmitido por toda a rede radiofônica da Alemanha.

Como dramaturga, estreou em Nova York em 1964 com a peça “Central Park Bench Number 33, Flight 207” no Judson Poet´s Theater. Tem sete peças escritas, em português e em inglês, entre elas uma adaptação do “Retrato do autor quando jovem” de James Joyce. 
Foi crítica teatral (membro da APCA) da revista ISTOÉ, de 1976 a 1981. 


LIVROS PUBLICADOS ( de 1955 a 2009) :

De ficção: Ponto Morto; O Caos na Sala de Jantar; Estudos de Interiores para uma Arquitetura da Solidão; O País dos Homens de Gelo; Faróis Estrábicos na Noite.

De jornalismo: Menores no Brasil: a loucura nua (reportagem ganhadora do ESSO); A pena e o espartilho (mulheres na literatura brasileira) e Atrás da porta da porta da História.

TRADUÇÃO: 25 livros traduzidos (de 1972 a 2009) de diversas áreas, 
principalmente de literatura, filosofia e história. 
_____ 

Diretora da União Brasileira de Escritores (UBE)- de 1996 a 2000
Sócia-titular do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo
Membro-titular da Academia de Letras e Artes de Campinas (SP).
 

 

 


 

Artigos:

 

  • DISPARADA Novembro 13, 2013 - De repente, peguei de escrever. Em disparada.  Não que não tenha escrito por aí, vida afora. Acho até que só fiz isso, demais até, e esses amor exagerado de livros, de […]

Partilhar: