Patrícia Reis

patricia_reisPatrícia Reis nasceu em Lisboa em 1970. Começou a sua carreira jornalística no semanário O Independente em 1988. Passou pela revista Sábdo, fez um estágio na revista norte-americana Time, trabalhou no Expresso, na Marie Claire, na Elle e nos projectos especiais do jornal Público. Fez produção para o programa televisivo “Sexualidades” (RTP) e para “Vida de Casal” (SIC). Começou a editar a revista Egoísta há 10 anos, em 2000. Desde 1997 que é sócia-gerente do atelier 004, um atelier especializado em contéudos e design no âmbito do qual produz projectos variados, de exposições a contéudos para sites ou eventos, além de livros, revistas, ferramentas corporativas. Tem cinco romances publicados (D. Quixote), quatro livros infanto-juvenis (Quidnov) que formam uma colecção que integra o Plano Nacional de Leitura, dois livros infantis cujas receitas revertem para a Fundação do Gil (Quidnov). Mantém diariamente o blogue vaocombate.blogs.sapo.pt. É casada e tem dois filhos rapazes.
 

 

 


 

Artigos:

 

  • ouves? Outubro 2, 2013 - Se tu ouvisses percebias que o meu coração já não bate ao mesmo ritmo, tudo está e é mais devagar, dormente, incapaz de reagir como anteriormente. Se tu ouvisses saberias […]
  • Verde Junho 24, 2013 - Para MM O casaco verde Na neve artificial a montra estava imaculada. Algo banal na confusão da cidade. Tóquio. A mulher, apertada no casaco e nas luvas, deixou-se ficar a […]
  • O coração que não se foi Maio 23, 2013 - Quando o jornal ficou vazio, pelas onze da noite, o antigo cronista voltou ao local do crime. Tinha deixado, por puro esquecimento, uma caneta que lhe era querida, recordação da […]
  • da estranheza do corpo e das ideias Maio 9, 2013 - O homem pensou que se resolveria no trânsito, quer dizer, que as ideias ficariam alinhadas e quando chegasse a casa, por fim, teria uma ideia concreta sobre o que fazer. […]
  • agora mesmo Abril 24, 2013 - Agora mesmo são 1:11 da manhã e se o planeta explodir, por razões que ninguém conseguirá explicar, estou aqui sozinha. Teria uma importância relativa, uma explosiva imprevista não me permitiria […]
  • Palavras Abril 18, 2013 - Podia escrever as palavras todas do mundo e fazer um dicionário que fosse apenas o seu e podia começar com dor e acabar com amor, rimar e ser piroso. A […]
  • Patrícia Reis Abril 10, 2013 - baixinho Não é a montanha russa mais assustadora. Não é nada disso. São apenas duas pessoas no silêncio atroz do domingo. Um dia de angústia para quem, como a mulher, […]
  • A cidade tem outro calor Outubro 9, 2011 - A cidade tem outro calor. As ruas enchem-se de uma forma estranha e há burkas e miúdos com piercings e coisas do género. A mulher não arrasta a adolescente pela […]
  • De copas Junho 25, 2011 - A mulher senta-se na esplanada a ver as outras mulheres. Altas, carnudas, decotes profundos, o cliché da américa latina porque, felizmente, há clichés que são bons. Por isso se ri. […]
  • A balsa Junho 15, 2011 - A balsa tem um nome estranho, fora do sítio: extraterrestre III. Observo-a todos os dias. Leva as pessoas das margens da lagoa, ali onde o mar espreita já. Dizem que […]
  • Lisboa, assalto às 16h07 Abril 22, 2011 - A mulher não percebeu os gestos. Ocorreu-lhe um fado e uma cena de tiros de um filme. Pensamentos em segundos. Uma espécie de sonho. Imaterial e exterior a ela. Quando […]

Partilhar: