Vasco Graça Moura

Vasco Graça Moura

Nome civil: Vasco Navarro da Graça Moura
Nome literário: Vasco Graça Moura
Nasceu em 3.1.1942, na Foz do Douro (Porto).
Nacionalidade portuguesa.
Licenciado em Direito pela Fac. Direito de Lisboa.

Currículo abreviado:

– Advogou no Porto entre 1966 e 1983.
– Fez parte da primeira comissão administrativa da Câmara Municipal do Porto em Outubro de 1974.
– Secretário de Estado da Segurança Social no IV Governo Provisório (1975).
– Secretário de Estado dos Retornados no VI Governo Provisório (1975).
– Director de Programas do Primeiro Canal da RTP (1978).
– Administrador da Imprensa Nacional – Casa da Moeda 1979 – 1989 e responsável pela intensa actividade editorial da empresa durante esse período.
– Vice-Presidente da Direcção do PEN Clube Português (1982-1984)
– Membro do Conselho Geral da Comissão Nacional da UNESCO (1983-1986)
– Presidente da Assembleia-Geral do PEN Clube Português (1985)
– Membro do Conselho Geral do Instituto Camões (1992-1995)
– Presidente da comissão para o estudo e solução dos problemas do livro e da leitura (Secretaria de Estado da Cultura, 1995)
– Membro da Comissão Nacional para a Língua Portuguesa (1987-1990)
– Representante do Governo Português no Comité Europeu do Conselho da Europa encarregado da preparação da campanha Norte-Sul e coordenador da correspondente manifestação em Lisboa.
– Presidente da comissão utiva das comemorações do centenário do nascimento de Fernando Pessoa (1987).
– Comissário-Geral da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses (1989-1995). No exercício deste cargo desenvolveu intensa actividade internacional, dentro e fora da Europa, com a constante preocupação de pôr em relevo o contributo das várias nacionalidades europeias para os grandes descobrimentos marítimos.
– Comissário de Portugal para a Exposição Universal de Sevilha de 1992.
– Comissário de Portugal para a exposição internacional “Cristoforo Colombo, il naviglio e il mare” (Génova, 1992).
– Membro do Conselho de opinião da Radiotelevisão Portuguesa (1993)
– Membro da Académie Européenne de Poésie (Luxemburgo), por convite de Alain Bosquet (1995)
– Regeu um curso de pós-graduação sobre os descobrimentos portugueses na Universidade Lusíada (Lisboa, 1996).
– Director do Serviço de Bibliotecas e Apoio à Leitura da Fundação Calouste Gulbenkian (1996).
– Orientou um seminário sobre o Maneirismo Europeu e o poeta quinhentista Pedro da Costa Perestrelo (Faculdade de Letras de Lisboa, 2006).
– Colaborador regular da televisão, da rádio e de jornais e revistas, com destaque para a página semanal que mantém no Diário de Notícias, desde 1993 (cerca de 800 artigos).
– Conferências em Espanha, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Itália, Estados Unidos e Brasil.
– Deputado ao Parlamento Europeu (1999-2004), reeleito em 2004. Autor, entre outros, dos relatório relativos aos programas-quadro da política cultural europeia, Cultura-2000 e Cultura 2007-2013, ao Ano Europeu das Línguas (2000), à inclusão da Cultura na Estratégia de Lisboa (2008) e ao Multilinguismo (2009).
– Eleito sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa em Julho de 2008.
– Tem pertencido ao júri de vários prémios literários, entre eles o Prémio Nacional de Poesia Teixeira de Pascoaes, a que presidiu (1977), o Prémio D. Dinis da Fundação da Casa de Mateus, a que preside desde 1981, o Prémio Fernando Namora e o Prémio Agustina Bessa-Luís (2008).
– A sua obra literária abrange a poesia, a ficção, a tradução, o teatro e o ensaio (em especial, crítica e história literária, artes plásticas e história da arte).

Condecorações:

Oficial da Ordem de Santiago da Espada
Grande oficial da Ordem do Rio Branco (Brasil)
Medalha da Marinha Brasileira
Grande oficial da Ordem da Estrela da Solidariedade Italiana
Oficial da ordem das Artes e das Letras (França)
Medalha de Honra da Sociedade Portuguesa de Autores

Prémios literários recebidos:

Prémio de Poesia do PEN Clube Português (1994)
Prémio Pessoa, 1995
Grande prémio de poesia da Associação Portuguesa de Escritores, 1998
Medalha de ouro do Comune de Firenze (1998)
Coroa de Ouro do Festival de Struga (Macedónia), 2004
Premio Internazionale Diego Valleri, Monselice, 2004
Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, 2004.
Prémio de tradução Paulo Quintela, da Fac. de Letras de Coimbra, atribuído à sua tradução das Rimas de Petrarca, 2006
Prémio de tradução da União Portuguesa de Editores, 2006
Prémio Vergílio Ferreira 2007, da Universidade de Évora.
Prix Max Jacob étranger, Paris, 2007.
Premio Nazionale per la Traduzione, do Ministero per i Beni e le Attività Culturali, Roma, 2008.

Outros prémios:

Prémio Jacinto do Prado Coelho (ensaio), da Associação Internacional dos Críticos Literários (1986)
Prémio de Poesia Cidade do Porto (1982)
Prémio Rodrigues Sampaio de ensaio da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto (1985)
Prémio Município de Lisboa (poesia), 1986
Prémio Município de Lisboa de Teatro (1988)
Prémio Eça de Queirós da Câmara Municipal de Lisboa (1997)
Prémio Gulbenkian de tradução da Academia das Ciências de Lisboa (ex-aequo, 1978)
Premio Internazionale la Cultura del Mare (San Felice Circeo, 2002)
Distinção nos 30 anos do 25 de Abril, na área da literatura, Árvore – Cooperativa de Actividades Artísticas, 2004

Obra publicada:

Poesia:

– Modo mudando, ed. autor, 1963.
– Semana Inglesa, ed. autor, 1965.
– Quatro sextinas, ed. autor, 1973.
– O mês de dezembro e outros poemas, Ed. Inova, Porto, 1976.
– Recitativos, ed. Inova, Porto, 1977
– Dezassete sonetos de Shakespeare, ed. Inova, Porto, 1977.
– 50 sonetos de Shakespeare, 1ª ed., Inova, Porto, 1978; 2ª ed. Editorial Presença, Lisboa.
– Sequências regulares, ed. O Oiro do Dia, Porto, 1978.
– 23 poemas de H.M. Enzensberger, ed. O Oiro do Dia, Porto, 1980.
– Instrumentos para a melancolia, ed. O Oiro do Dia, Porto, 1980.
– A variação dos semestres deste ano, 365 versos, seguido de A escola de Frankfurt, ed. autor, 1981.
– 50 poemas de Gotfried Benn, 1. ed. O Oiro do Dia, Porto, 1982, 2ª de. Relógio d’Água, Lisboa, 1998.
– Nó cego, o regresso, ed. O Oiro do Dia, Porto, 1982, trad. italiana, Nodo cieco, il ritorno, ed. Florida, Roma, 3ª ed. Asa, Porto, 2000.
– Os rostos comunicantes, ed. D. Quixote, Lisboa, 1984.
– A sombra das figuras, ed. autor, 1985.
– A furiosa paixão pelo tangível, Quetzal, Lisboa,1987.
– O concerto campestre, Quetzal, Lisboa,1993.
– Os sonetos a Orfeu de Rainer Maria Rilke, Quetzal, Lisboa, 1994.
– Sonetos familiares, 1ª ed. autor, 1994; 2ª ed. Quetzal, Lisboa, 1995.
– A Vita Nuova de Dante Alighieri, Bertrand, Lisboa, 1995.
– A Divina Comédia de Dante Alighieri, Bertrand, Lisboa, 1995, 2ª ed. 1996, 3ª ed. 1997.
– Poemas escolhidos (1963-1995), Bertrand, Lisboa, 1996.
– Os testamentos de François Villon e outras baladas mais, Campo das Letras, Porto, 1997.
– Uma carta no inverno, Quetzal, Lisboa, 1997.
– Poemas com pessoas, Quetzal, Lisboa, 1997.
– Letras do fado vulgar, 1997, Quetzal, Lisboa, 1997.
– Poemas de Seamus Heaney, Campo das Letras, Porto, 1998.
– Garcia Lorca: o romanceiro e o pranto, Quetzal, Lisboa, 1998.
– O retrato de Francisca Matroco e outros poemas, Quetzal, Lisboa, 1998.
– Sombras com Aquiles e Pentesileia, Quetzal, Lisboa, 1999.
– Os sonetos de Walter Benjamin, Campo das Letras, 1999.
– Garrett, numa cópia perdida do Frei Luís de Sousa (31.12.1843), Campo das Letras, Porto, 1999.
– Giraldomachias, onze poemas e um labirinto sobre imagens de Gérard Castello-Lopes, Lisboa, Quetzal e Casa Fernando Pessoa, 1999.
– Poesia, 1997/2000, Lisboa, Quetzal, 2000.
– Poesia [Poemas escolhidos], 1963-1995, Lisboa, Círculo de Leitores, 2001.
– Poesia, 1997/2000, Lisboa, Círculo de Leitores.
– Testamento de vgm, Porto, Asa, 2001, 2ª edição, acompanhada de versão francesa, testament de vgm, Porto, Asa, 2002.
– Os sonetos de Shakespeare, Lisboa, Quetzal, 2002
– Alguns amores de Ronsard, Lisboa, Quetzal, 2003
– Antologia dos sessenta anos, Porto, Asa, 2002
– As rimas de Petrarca, Lisboa, Bertrand, 2003
– Variações metálicas, Porto, Asa, 2004
– Rilke, Carrossel e outros poemas, Porto, Asa, 2004
– Os Triunfos de Petrarca, Lisboa, Bertrand, 2004
– Mais fados & Companhia, Lisboa, Público, 2004
– Laocoonte, rimas várias, andamentos graves, Lisboa, Quetzal, 2005
– O poema sobre o desastre de Lisboa de Voltaire, Lisboa, Aletheia, 2005.
– Poesia, 2001/2005, Lisboa, Quetzal, 2006
– Poesia, 1963-1995, Lisboa, Quetzal, 2007.

Antologias publicadas no estrangeiro:

– L’ombra delle figure, organização, tradução e prefácio de Maria José de Lancastre, Fondazione Piazzola, Roma, 1993.

– L’ombre des figures, organização e tradução de Michèle Giudicelli, prefácio de Marc Blanchet, L’Escampette, Bordeaux, 1997.

– acht gedichte, tradução de Peter Hanenberg, ed. autor, 1997, textos depois publicados em Akzente, 1/Februar 2000,

– Världen accelererade, organização, apresentação e tradução de Marianne Sandels, Ariel Stehag (Suécia) 1996.

– Ett vinterbrev och andra dikter, organização, apresentação me tradução de Marianne Sandels, Ariel (Suécia), 2000.

– Una carta en invierno y otros poemas, versão castelhana de Jesús Munárriz, Madrid, Hiperión, 2000.

– Poemas escolhidos, selecção de Vlada Urosevic, trad. para macedónio de Mateja Matevski, Jordan Plevnes e Vlada Urosevic, Coroa de Ouro das Noites de Poesia de Struga, 2004

– Une lettre en hiver et autres poèmes (1963-2005), selecção, tradução e apresentação de Joaquim Vital, Paris, La Différence, 2007.

– Här fattas det en högrvuxen lind, selecção, tradução e prefácio de Marianne Sandels, Uppsala, Almaviva, 2009.

Video

– Pequena antologia de Vasco Graça Moura, cassette video com intervenção do autor e da pianista Sofia Lourenço, produzida e editada pela Estrutura de Projecto do Ensino Básico Mediatizado, Porto, 1999.

Discografia

– António Pinto Basto canta letras do fado vulgar; gravações de letras de fado em discos de Carlos do Carmo, Ana Sofia Varela, Mísia, Cristina Branco, Mariza, Joana Amendoeira e Viviane.

Traduziu ainda:

— Gunnar Ekelof, Poemas (em colaboração com Marianne Sandels e Ana Hatherly), Quetzal, Lisboa,1992.
— Jaime Sabines, Os amorosos e outros poemas, Quetzal, Lisboa, 1996.
— 21 poetas suecos (em colaboração com vários autores), Vega, Lisboa, 1981.
– Rainer Marie Rilke, Cartas a um jovem poeta, Porto, Asa, 2002.

Organizou as antologias poéticas de Pedro Homem de Mello (INCM), Vitorino Nemésio (Círculo de Leitores e Asa) e Luís de Camões (Revista Cais) e colaborou ainda em AA. VV., Magusto poético, Lisboa, Casa Fernando Pessoa e Fundação das Casas de Fronteira e Alorna, 1998.
Orientou a série Clássicos Portugueses da editorial Planeta de Agostini, em curso de publicação, prefaciando cada um dos 75 volumes nela incluído.

Outras antologias:

– Os melhores contos e novelas portugueses, 3 vols., Lisboa, Selecções do Readers’ Digest, 2002

– 366 poemas que falam de amor, Lisboa, Bertrand, 2003

– Gloria in excelsis, Histórias portuguesas de Natal, Lisboa, Público, 2003, 2ª edição, Lisboa, Bertrand, 2008.

– Os poemas da minha vida, Público, 2005.

– Natal… Natais, oito séculos de poesia de Natal, Lisboa, Público, 2005.

– A formosa Ulisseia, antologia de verso e prosa sobre Lisboa (no prelo)

Ensaio:

– David Mourão-Ferreira ou a mestria de Eros, Brasília, Porto, 1978.
– Herculano poeta, Fundação Engº António de Almeida, Porto,1978.
– Nemésio: o lance do verbo, Sopete, 1980.
– Luís de Camões: alguns desafios, Vega, Lisboa, 1980.
– José Rodrigues e as armadilhas miméticas, O Oiro do Dia, Porto, 1980.
– Caderno de olhares, O Oiro do Dia, Porto, 1983.
– Camões e a divina proporção, 1ª ed. autor, Lisboa, 1985, 2ª ed. INCM, Lisboa, 1993.
– Os penhascos e a serpente e outros ensaios camonianos, Quetzal, Lisboa, 1987.
– Várias vozes, Presença, Lisboa, 1987.
– Fernão Gomes e o Retrato de Camões (em colaboração com Vitor Serrão), INCM, Lisboa, 1989.
– Cristóvão Colombo e a Floresta das Asneiras, Quetzal, Lisboa, 1991.
– O Tratado de Tordesilhas, CTT, Lisboa, 1994.
– Retratos de Isabel e outras tentativas, Quetzal, Lisboa, 1994.
– O despertar da pintora: uma incursão (sobre Graça Morais), Quetzal, 1997.
– Damião de Góis e o Livro de Horas dito de D. Manuel, Lisboa, Artibérica, 1999.
– Sobre Camões, Gândavo e outras personagens, hipóteses de história da cultura, Porto, Campo das Letras, 2000.
– Figuras em Mateus, Lisboa, Quetzal, 2002
– Lusitana praia, Porto, Asa, 2005.
– Fantasia e objectividade nos Descobrimentos Portugueses (em colaboração com Martim de Albuquerque), Lisboa, Alêtheia, 2006.
– Acordo Ortográfico: a perspectiva do desastre, Lisboa, Alêtheia, 2008.
– Anotações europeias, Lisboa, Bertrand, 2008.

Ficção:

– Quatro últimas canções, romance, Quetzal, Lisboa, 1987; ed. francesa: Derniers chants d’amour, trad. Anne Viannot, ed. La Différence, Paris, 1988.
– Naufrágio de Sepúlveda, romance, Quetzal, 1988; Círculo de Leitores, Lisboa, 1989.
– Partida de Sofonisba às seis e doze da manhã, Quetzal, Lisboa, 1993; ed. italiana, Partenza di Sofonisba, trad. Daniela Stegagno, Roma, Empiria, 1999.
– A morte de ninguém, Quetzal, Lisboa, 1998, ed. Italiana, La morte di nessuno, trad. Daniela Stegagno, Roma, Empiria, 2000.
– Meu amor, era de noite, 1ª e 2ª edições, Lisboa, Quetzal, 2001.
– O enigma de Zulmira, Quetzal, 2003, ed. sueca En mörk tid i Lissabon / Gatan Zulmira, trad. Örjan Sjögren, Kristianstad, Occident Förlag, 2007.
– Por detrás da magnólia, Lisboa, Quetzal, 2004, ed. francesa Le Magnolia, trad. Cécile Lombard, ed. La Différence, Paris, 2008.
– Duas mulheres em Novembro, Lisboa, Visão, 2006
– Alfreda ou a Quimera, Lisboa, Bertrand, 2008.
– O pequeno almoço do sargento Beauchamp, Lisboa, Alêtheia, 2008.
– Morte no retrovisor, ficções e quase ficções, Lisboa, Bertrand, 2008.

Teatro:

– Ronda dos meninos expostos (auto breve de Natal), Quetzal, 1987.
– Auto de Mofino Mendes (farsa de natal), ed. autor, Lisboa, 1994.
– Berenice, de Jean Racine, Lisboa, Bertrand, 2005
– Fedra, de Jean Racine, Lisboa, Bertrand, 2005 (no prelo)
– Andrómaca, de Jean Racine, Lisboa, Bertrand, 2006
– O Misantropo, de Molière, Lisboa, Bertrand, 2007
– Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand, Lisboa, Bertrand, 2007
– O Cid, de Pierre Corneille, Lisboa, Bertrand, 2008.

Diário e memórias:

– Circunstâncias vividas, Bertrand, Lisboa, 1995.
– Páginas do Porto, Porto, Asa, 2001.

Crónica:

– Papéis de jornal / Crónicas e outros materiais, Bertrand, Lisboa, 1997.
– Contra Bernardo Soares e outras observações, Campo das Letras, Porto, 1999.

Literatura infantil:

As botas do sargento, Lisboa, Bertrand, 2001
 

 

 


 

Artigos:

 

  • João Barrento – I Outubro 26, 2011 - O prémio D. Dinis vai já em trinta e uma edições, uma vez que foi, pela primeira vez, atribuído em 1980. É uma idade respeitável para um prémio que tem […]

Partilhar: